Pappe Integração recebe propostas de parcerias a partir de 10 de março

Pappe Integração recebe propostas de parcerias a partir de 10 de março
março 09 13:06 2010

A partir do dia 10 de março, estará disponível no site da FINEP a carta-convite e o formulário para que instituições interessadas em operar o Pappe Integração se candidatem em um dos 20 estados participantes. Lançado em dezembro de 2009, o Programa de Subvenção à Pesquisa em Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Norte, Nordeste e Centro-Oeste (Pappe Integração) é uma nova iniciativa de fomento à inovação nestas regiões. Ao todo, a FINEP destinará R$ 100 milhões em recursos não-reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos) da Subvenção Econômica, para apoiar cerca de 500 empreendimentos.redes

Podem se candidatar à parceria fundações de amparo à pesquisa dos estados, secretarias estaduais de ciência e tecnologia ou entidades sem fins lucrativos indicadas pelas secretarias. São essas instituições que irão gerenciar todos os recursos localmente, transferindo-os às empresas beneficiadas. A opção pela proximidade dos parceiros operadores vai garantir capilaridade ao Pappe.

“Como um programa descentralizado, a ideia é aproveitar o espírito empreendedor de cada região e, finalmente, atingir todos os pontos do país”, diz Gina Paladino, superintendente da Área de Subvenção e Cooperação da FINEP. Até o final de junho, as empresas – que serão escolhidas por editais próprios capitaneados pelas instituições selecionadas pela FINEP nesta primeira fase – já estarão recebendo os recursos.

Os parceiros poderão operar entre R$ 1 milhão e  R$ 10 milhões, dependendo da contrapartida estadual oferecida. Para os que receberem até R$ 2 milhões, não haverá necessidade de contrapartida. Além do repasse financeiro, a FINEP também vai orientar e capacitar os gestores do Pappe Integração em cada estado.

Cada empresa contemplada (com faturamento de até R$ 2,4 milhões por ano) vai receber no mínimo R$100 mil e, no máximo, R$ 400 mil, dependendo do porte e características dos projetos. Os recursos serão aplicados no desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos que agreguem valor aos negócios e ampliem seus diferenciais competitivos.

O foco no Norte, Nordeste e Centro-Oeste tem por base a garantia de que 30% dos recursos do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) sejam destinados a estas regiões. “Esta é uma iniciativa que reflete o compromisso da FINEP e do Ministério da Ciência e Tecnologia em incluir todas as microempresas brasileiras no mapa da inovação”, completa Gina.

  Categorias: