Pedidos de patentes têm crescido no Brasil, diz técnico do INPI

julho 27 16:19 2010

Os pedidos de psiteatente têm crescido cada vez mais no Brasil, não somente em quantidade, mas em qualidade. Essa é a constatação do técnico do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), Rodrigo Ferraro, um dos palestrantes do Curso de Capacitação em Propriedade Intelectual, promovido pela FAPEMA em parceria com Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Secretaria de Estado da Indústria e Comércio (SINC), Academia de Propriedade Intelectual e SEBRAE, com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA).

Participam do curso 54 pessoas entre pesquisadores e estudantes. Dentre elas, cinco de outros estados – Acre, Sergipe, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, se inscreveram no curso. Ângelo Duarte, contador da Universidade Federal de Pelotas, considerou a iniciativa importante para o aumento do conhecimento na área de propriedade intelectual.

O bolsista doNúcleo de Inovação Tecnológica (NIT), Juan Rodriguez, também destacou que o curso “está sendo importante para facilitar o entendimento dos alunos sobre os processos que envolvem a propriedade intelectual”.

Na palestra desta terça-feira, 27, o tema abordado foi patentes. O objetivo da palestra foi expor informações iniciais sobre o processo de patente. “É importante que as pessoas conheçam o sistema de patente e utilizem de forma mais racional”, declarou Rodrigo. Ele afirmou ainda que as patentes são importantes porque trazem retorno financeiro às instituições e evitam que as tecnologias criadas se percam. Ele avalia de forma positiva o curso ministrado no Maranhão.

O Curso de Capacitação em Propriedade Intelectual tem como finalidade “promover a formação de recursos humanos e a disseminação da propriedade intelectual”, afirmou Tonicley Silva, coordenador de Inovação e Empreendedorismo da FAPEMA.

Com carga horária de 40h, o curso acontece até a próxima sexta-feira, 30, no prédio da FIEMA. Durante esse período, serão abordados conteúdos sobre informação tecnológica, prospecção tecnológica, patentes, marcas, desenhos industriais, indicações geográficas, dentre outros. Este é um curso classe A na área de Propriedade Industrial no Brasil.

  Categorias: