Pernambuco terá parque com complexo científico e cultural

Pernambuco terá parque com complexo científico e cultural
novembro 17 11:09 2009

Pernambuco tem uma das últimas torres de atracação do Graf Zepellin no mundo, um dirigível que foi um dos ícones da aviação mundial, construído em 1928. A torre está instalada no Parque do Jiquiá, no bairro do Jiquiá, no Recife e, no local, será criado o Parque Científico e Cultural do Jiquiá Alberto Santos Dumont.

Convênio de cooperação técnica para criação do parque foi assinado, ontem (16) no Teatro de Santa Isabel, no centro da cidade, pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e o prefeito do Recife, João da Costa. complexo_cientifico_cultural_pernambuco

O Parque será instalado em uma área de 5 mil m² e terá Planetário, Museu de Artes, Ciências e Tecnologia, Centro de Criatividade, Refinaria Multicultural, Memorial dos Cientistas Notáveis e Parque dos Relógios Solares. Também abriga um Centro Vocacional Tecnológico (CVT), um Laboratório Ambiental e um Parque da Juventude.

O convênio financia a elaboração dos projetos básico executivo de arquitetura e engenharia. O investimento inicial é de R$ 2,24 milhões, sendo R$ 1,5 milhão do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), R$ 500 mil do governo estadual e R$ 240 mil da prefeitura. A estimativa é que a instalação de todo o complexo demande um aporte de R$ 50 milhões. A prefeitura quer enquadrar a restauração dentro da lei Rouanet, de incentivo à cultura.

A prefeitura adquiriu da Caixa Econômica Federal o terreno onde se localiza o chamado Campo do Jiquiá, e já realizou trabalhos de estabilização da torre de atracação do Zeppelin. Será feito ainda um trabalho de resgate histórico do que significou essa torre de atracação. Também está prevista a restauração de paióis que funcionaram durante a 2ª Guerra Mundial. O parque está inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) do Campo do Jiquiá.

O ministro Rezende disse que esse “é um projeto ambicioso que dará ao Campo do Jiquiá uma utilidade completa para a população”. O MCT construirá um parque científico na área, dentro da política do governo Federal de aproximar a ciência e a tecnologia da população.

Rezende destacou ações como a criação de parques científicos e como a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), a maior olimpíada de ciências do mundo, como iniciativas importantes de difusão de C&T no País, hoje. “Precisamos fazer com que os jovens se interessem mais pela ciência e um parque como esse tem esse papel”. Em Pernambuco, já existe em funcionamento outro parque científico, o Espaço Ciência.

O governador Eduardo Campos, lembrou que o Parque fica muito próximo de bairros que precisam muito dessa modalidade de equipamento, como Mangueira, Mustardinha, Cidade Universitária e Várzea. “É um espaço de convivência, difusão do conhecimento e valorização da natureza, que dialoga com redução da violência, a paz e a qualidade do conhecimento”.

“É um grande esforço da prefeitura de estruturar na cidade um sistema de parques”, disse o prefeito, João da Costa. Ele ressaltou que ainda é desconhecido da maioria da população o fato de o espaço ter sido utilizado em Pernambuco para guardar munições e ser um importante espaço de preservação ambiental. Afirmou que, uma vez concluído o projeto executivo, a prefeitura buscará parceiros para viabilizar o Parque.

Participaram da solenidade os secretários de Estado de Esportes, George Braga, e da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Luciana Santos, o secretário de C&T e Desenvolvimento Econômico do Recife, José Bertotti, o reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Valmar Correia e membros da comunidade científica pernambucana.

  Categorias: