Pesquisa apoiada pela FAPEMA fomenta a prática da agricultura sustentável

Pesquisa apoiada pela FAPEMA fomenta a prática da agricultura sustentável
março 18 11:30 2013

 

agroecologiaAliar uma alimentação saudável com a preservação ecológica de espécies vegetais é uma atitude que tem crescido no cotidiano dos maranhenses. O consumo de alimentos orgânicos, ou seja, desprovidos de agrotóxicos ou de quaisquer substâncias danosas, tem aumentado. Uma pesquisa apoiada pela FAPEMA procura fomentar a prática da agricultura sustentável para as áreas urbanas e periiurbanas de São Luís.

A pesquisa “Agricultura Urbana e Periurbana como ferramenta para garantir a segurança alimentar e nutricional na região metropolitana de São Luís” é coordenada pelo doutor em Agronomia, Altamiro Souza de Lima Ferraz Junior e composta por uma equipe de alunos do Mestrado em Agroecologia da UEMA e alunos do curso de Ciências Agrárias e Biologia da universidade. O estudo visa desenvolver estratégias para fortalecer o Centro de Apoio à Agricultura Urbana e Periurbana de São Luís (CAAUP). O CAAUP foi criado em 2008 por meio de um convênio firmado entre a UEMA e o Ministério do Desenvolvimento Social de Combate à Fome. Visando a continuidade do centro, a equipe buscou o apoio da FAPEMA. Por meio do edital de Apoio a Projetos de Extensão – AEXT da Fundação, o projeto permaneceu em andamento.

A pesquisa selecionou as áreas urbanas e periurbanas de São Luís pelo fato delas concentrarem um grande contingente de pessoas que estão à margem do sistema produtivo e, portanto necessitadas de uma fonte de renda para o sustento e também segurança nutricional de suas famílias. Com o projeto inúmeras famílias terão a oportunidade de melhoria de sua renda, além de promoverem o desenvolvimento sustentável do meio ambiente e ainda contribuirão para a melhoria do aspecto visual da cidade de São Luís, com o plantio de hortas para o cultivo de hortaliças, como o quiabo, frequente na capital. Atualmente já existem vários agricultores trabalhando com a produção agroecológica. Dois deles são ligados ao CAAUP e trabalham incentivados pelo projeto. Os demais produzem de forma independente e a intenção dos pesquisadores é conseguir incluir mais agricultores nesse processo.

O consumo de hortaliças e frutas orgânicas ainda não é muito comum em São Luís, mas sua prática vem crescendo, sobretudo pela conscientização de que tais alimentos são desprovidos de insumos químicos, como agrotóxicos, adubos, fertilizantes que prejudicam tanto o ser humano, como o solo e ainda causam a perda nutricional dos próprios vegetais que os receberam. O professor Altamiro Ferraz Júnior afirma que se determinadas substâncias forem utilizadas indevidamente podem prejudicar o meio ambiente e desencadear doenças no ser humano. “Adubos químicos causam danos a natureza. Se uma grande quantidade de nitrogênio for utilizada, pode haver a contaminação dos lençóis freáticos e se houver excesso de nitrato nas folhas, elas podem se tornar prejudiciais a saúde humana, causando doenças como o câncer” declarou.

Todo o projeto foi elaborado pelo viés da Agroecologia, que visa praticar a agricultura permanecendo com a preocupação em preservar a natureza, não utilizando de forma inapropriada substâncias químicas que serão danosas tanto para o meio ambiente, quanto para o homem. “A Agroecologia é uma ciência que propõe para os sistemas produtivos a visão ecológica, ou seja, nós precisamos produzir alimentos, mas precisamos também preservar o meio ambiente. Então nós utilizamos os processos naturais que ocorrem, os agroecossistemas, para controlar os problemas, como as pragas e doenças, os problemas de fertilidade do solo sem precisar recorrer aos insumos químicos que poluem o ambiente e as pessoas que os manipulam”, declarou Altamiro Ferraz Júnior.

O professor Altamiro Ferraz Júnior declarou que o apoio da FAPEMA se faz essencial para projetos como esse, “a FAPEMA tem apoiado os pesquisadores do Maranhão com muito aporte de recursos e isso tem sido muito bom para o desenvolvimento científico e tecnológico do estado. Esses projetos de extensão são muito importantes, pois ajudam a retirar das ‘gavetas das universidades’ o conhecimento que está estocado lá” afirmou. O edital de Apoio à Projetos de Extensão – AEXT visa dar o suporte necessário para o desenvolvimento de pesquisa a serem executados no estado do Maranhão, com a finalidade de fortalecer as atividades de pesquisa que englobam os problemas sociais, e estabelecer uma relação de diálogo e troca de experiências entre pesquisadores e sociedade.

  Categorias: