Ciclo de vida das abelhas jandaíra é identificado nos lençóis maranhenses

Ciclo de vida das abelhas jandaíra é identificado nos lençóis maranhenses
agosto 13 17:31 2013

Melipona asilvae queen 1

Identificar, na restinga maranhense, como vivem as abelhas da espécie melípona, conhecidas como jandaíra, é o objetivo de uma pesquisa apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, através do edital Universal 00219/11.

“A espécie estudada é encontrada na região dos Lençóis Maranhenses, e está adaptada ao clima da área, muito calor, pouca umidade e luminosidade intensas. O trabalho busca entender como se dá o comportamento da melípona ao longo da vida, como se comporta na busca por alimentos”, comenta a pesquisadora, Márcia Rêgo, da Universidade Federal do Maranhão – UFMA.

A equipe conta com a orientação da professora Patrícia Albuquerque e co-orientação de Gisele Garcia, além dos alunos de mestrado em Biodiversidade e Conservação (UFMADEBIO), Rafael Pinto e Marcela Barbosa, e das alunas de graduação em Biologia, Albeane Silva e Simone Melo.

A pesquisa, ainda em andamento, vem constatando a grande adaptação das abelhas àquele local, já que constroem seus ninhos na planta “Mirim”, uma árvore frutífera cujas flores são a base da alimentação tanto das abelhas adultas quanto dos filhotes, pois delas são retiradas o pólen e o néctar. “Mas não apenas da Mirim as abelhas retiram alimento. Outras flores como a camomila também servem de alimento para a jandaíra”, explica Márcia Rêgo.

O trabalho identificou as características da espécie, padrões de atividades similares a outras espécies do gênero, como pico de coleta de pólen no período da manhã, diminuição das atividades em horários de maior condição de superaquecimento, e coleta de néctar mais concentrado à tarde.

  Categorias: