Pesquisa avalia a qualidade da água em Chapadinha e região

Pesquisa avalia a qualidade da água em Chapadinha e região
outubro 17 18:39 2013

20131009 102333Não é de hoje que o município de Chapadinha, na região do Baixo Parnaíba, sofre com o problema da água. A última intervenção no sistema de abastecimento foi realizada em 1982, com uma projeção para apenas dez anos. De lá para cá, a população aumentou e, consequentemente, o consumo também cresceu. Resultado: com a escassez das chuvas no último inverno, houve drástica redução do nível de água armazenada na represa Itamacaoca. 

Mas não é só a questão do abastecimento que preocupa pesquisadores e a comunidade. Há preocupação também com a qualidade da água consumida, que pode estar contaminada com metais pesados como chumbo, cobre, cádmio e zinco. De acordo com o professor Jomar Livramento Barros Furtado, da Universidade Federal do Maranhão, em Chapadinha não há coleta seletiva e, portanto, não há reciclagem desses materiais. Em função disso, dispositivos à base de metais pesados, quando não apresentam mais utilidade, são lançados diretamente no meio ambiente o que pode contaminar o solo e a água, causando doenças graves.

Segundo Jomar furtado – que desde 1999 estuda a presença de metais pesados em água destinada ao consumo humano -, a contaminação das fontes de abastecimento pode ocorrer por corrosão das tubulações de sistemas de distribuição, além dos lixos residenciais despejados no solo, como latas, pilhas, baterias etc. Esse motivo levou o pesquisador a desenvolver um projeto, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, que tem como objetivo avaliar a qualidade da água consumida em Chapadinha e monitorar possíveis contaminações dessa água por metais pesados.

“O monitoramento e a investigação das causas de contaminação de metais no sistema de abastecimento são de importância fundamental para evitar sérios problemas sociais e de saúde”, justifica o professor Jomar Furtado. A pesquisa conta com a participação de alunos e professores dos cursos de graduação do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais da Universidade Federal do Maranhão (CCAA/UFMA). A população de Chapadinha também está envolvida no projeto, por meio da participação em palestras organizadas pelos pesquisadores que abordam temas como consumo sustentável, descarte adequado de lixo e boas práticas de reciclagem nas comunidades.

Resultados – De acordo com o professor Furtado, as amostras de água para análise já foram coletadas, tratadas e estocadas. Entretanto, até o momento as análises de metais pesados ainda não foram realizadas porque estão à espera da instalação do equipamento de Absorção Atômica no laboratório do CCAA/Chapadinha. Furtado informou, no entanto, que até o final de 2013 o equipamento deverá estar em pleno funcionamento e as rotinas de análises poderão ser iniciadas. Segundo ele, a pesquisa poderá abranger outras cidades do Maranhão, uma vez que “o consumo de água de qualidade é um direito de todos”.

O professor Jomar Livramento Barros Furtado é mestre em Ciências Exatas / Química Analítica pela UFMA. Atualmente integra o corpo docente do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA/UFMA), em Chapadinha – MA e desenvolve projetos de reciclagem de óleo de cozinha usando-o como matéria prima na fabricação de sabão ecológico e também de Biodiesel; avaliação da qualidade da água consumida em Chapadinha pela determinação de metais pesados. influência de fontes e doses de fósforo na produção de cultivares de soja (Glycine max L. Merr.) na cidade de Chapadinha – MA.

  Categorias: