Pesquisa desenvolve indicadores para a preservação de imóveis tombados em São Luís

Pesquisa desenvolve indicadores para a preservação de imóveis tombados em São Luís
junho 26 12:26 2013

1230595-64442-1280

São Luís foi intitulada pela Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura – Unesco em 1997 como Patrimônio Cultural da Humanidade. Cerca de 60 hectares distribuídos pelo Centro Histórico da cidade foram tombados pela União. O tombamento desta área consiste num processo de conservação da estrutura que nos remete a herança física e cultural deixada pelo passado e que permanece até os dias atuais por meio dos casarões, azulejos e calçamentos oriundos dos séculos XVIII e XIX. Mas para que a história permaneça viva há a necessidade de preservação desses espaços.

Baseado nesta necessidade, o professor doutor do departamento de arquitetura e urbanismo da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, Alex Oliveira de Souza, coordena um estudo que possui como objetivo principal a conservação de imóveis tombados localizados na capital maranhense. Esta pesquisa é financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, por meio do edital Universal.

A estratégia desenvolvida pela pesquisa para a preservação dos casarões históricos de São Luís consiste na criação de indicadores que irão apontar o estado de conservação dos casarões tombados e a situação sócio-econômica estabelecida nestes espaços que também refletem na preservação. Ou seja, será feito um mapeamento dos setores que estão abandonados e dos que estão sendo utilizados tanto para moradia, como para fins comerciais. Os pesquisadores realizaram um levantamento da situação em que esses casarões se encontram e da capacidade de manutenção que os moradores e trabalhadores situados nestes espaços, possuem. Já foram analisados cerca de 300 imóveis, distribuídos entre as regiões da Praia Grande, praça Dom Pedro II, Desterro e Fonte do Ribeirão.

Segundo o pesquisador, o foco do estudo está nas ações de planejamento urbano que irão implicar na preservação do patrimônio. “Nosso objetivo foi estudar o planejamento urbano e integrar esse processo numa lógica de planejamento com a cidade, porque nos interessa aqui a dinâmica urbana. Com essas ações estamos contribuindo para a preservação do Centro Histórico de São Luís e ainda abrindo possibilidades para a geração de emprego e renda nesta área”, declarou.

Foi constatado que para que haja a preservação desses casarões, é importante analisar de que forma as pessoas que moram e trabalham neles estão procedendo com a manutenção e como os comércios e estabelecimento públicos e privados situados nestes locais estão lidando com o processo de modernização dos prédios. Toda esta análise possibilitará a criação de indicadores que esclarecerão a situação atual de imóveis tombados, visando primordialmente, a conservação do patrimônio público.

O professor Alex Oliveira comentou sobre a importância da FAPEMA para o desenvolvimento deste estudo. “A FAPEMA tem sido um apoio financeiro importante porque contribui, sobretudo, com equipamentos e materiais que são indispensáveis para o desenvolvimento da pesquisa”, comentou.

  Categorias: