Pesquisa sobre influência da palmeira de babaçu será apresentada na Austrália

Pesquisa sobre influência da palmeira de babaçu será apresentada na Austrália
julho 22 12:16 2013

FORRAGEIROOs resultados preliminares de uma pesquisa sobre a influência de diferentes densidades de palmeira de babaçu na pastagem, no solo e sobre o desempenho animal em comparação com a monocultura de capim-Marandu será apresentada no Congresso Mundial de Forragicultura, que acontece em setembro, na Austrália.

O projeto – que tem como título “Avaliação de ecossistemas pastoris para a Baixada Maranhense: Sistema silvipastoril formado por babaçu e Marandu e monocultura de capim-Marandu” – foi instalado no ano passado na cidade de Matinha, na região da Baixada Maranhense, sob a coordenação da professora Dra. Rosane Rodrigues, do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais da Universidade Federal do Maranhão (CCAA/UFMA) e deu origem à dissertação do aluno Xerxes Moraes Tosta, mestrando em Ciência Animal do Campus de Chapadinha, e de mais dois alunos do mesmo programa: Ricardo Alves Araújo e Antônio José Temístocles.

Para a professora Rosane Rodrigues, que é zootecnista e dirige o Laboratório de Forragicultura do CCAA/UFMA, a pesquisa poderá contribuir para a preservação do babaçu e para a geração de proteína de origem animal. “Daí a importância da nossa proposta como modelo de produção animal sustentável para a região da Baixada Maranhense, preservando a palmeira de babaçu e ao mesmo tempo gerando mudança na lei que rege a quantidade de palmeiras/área”, declarou a pesquisadora.

O projeto “Avaliação de ecossistemas pastoris para a Baixada Maranhense: Sistema silvipastoril formado por babaçu e Marandu e monocultura de capim-Marandu” poderá trazer diversos benefícios, tanto para os produtores da baixada maranhense como para o meio ambiente. De acordo com Rosane Rodrigues, ele irá garantir a otimização dos sistemas pastoris, bem como a preservação dos recursos naturais, trazendo impacto direto sobre a bovinocultura de corte, leite, bubalinocultura e caprino/ovinocultura.

Segundo a professora Rosane, a ideia da pesquisa surgiu com o lançamento de um Edital da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico do Maranhão – FAPEMA, específico para a Baixada Maranhense – o REBAX, pois é uma região que desperta bastante interesse da comunidade científica. “Pensamos num projeto que se encaixasse dentro das linhas de pesquisa do edital, daí levamos em consideração os recursos naturais existentes e as atividade ligadas a nossa área de atuação, no caso a pecuária de corte”, explicou.

Diversos pesquisadores estão colaborando com a pesquisa, entre eles: Maria Elizabeth de Oliveira, Ademir Sérgio F. de Araújo, Arnaud Azevedo (UFPI), Afrânio Gazolla (UEMA) e José Cutrim Júnior (professor do IFMA e proprietário da Fazenda onde está sendo desenvolvido projeto). Os professores integrantes do grupo FOPAMA Ana Paula Ribeiro de Jesus, Michelle de Oliveira Maia Parente, Ivo Guilherme R. Araújo, e os alunos Francivaldo Oliveira, Francisco Naysson de Sousa, Clésio dos Santos Costa, Juniel Linhares Chaga, Edimilson de Melo Sá Filho e Jefferson dos Anjos também participam do trabalho, além de estudantes dos cursos de graduação em Zootecnia e Agronomia do CCAA/UFMA.

  Categorias: