Pesquisadores apresentam projetos para o desenvolvimento da Baixada durante workshop da Rebax

Pesquisadores apresentam projetos para o desenvolvimento da Baixada durante workshop da Rebax
outubro 31 19:00 2012

rebaxVisando discutir projetos que foram pensados para garantir o desenvolvimento sustentável da Baixada Maranhenses foi realizado nesta quarta-feira (31) o 1º Workshop da Rede de Pesquisa da Baixada Maranhense (Rebax). O evento é fruto das análises colhidas ao longo de um ano, realizadas a partir do edital da Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico do Maranhão (Fapema) que destinou recursos de R$ 620 mil reais para esse estudo.

Compuseram a mesa de abertura dos trabalhos, o presidente da Fapema, Antônio Luiz Amaral Pereira; a diretora científica da Fapema, Rita Seabra; a coordenadora do Rebax, Zafira Almeida; o representante da Universidade Federal do Maranhão, Raimundo Inácio Souza; e a representante da Universidade Estadual do Maranhão, Francisca Neide Costa.

Cento e vinte pesquisadores participaram dos debates ao longo do dia. “Nós percebemos que a região da baixada maranhense tem um IDH baixo e essa proposta do edital Rebax amplia a qualidade de vida da população. Nossa ideia aqui, ao discutir essas ações é justamente contribuir para diminuir essa carência”, observou Francisca Neide Costa, representante da Universidade Estadual do Maranhão.rebax2

O Workshop foi apontado pelos pesquisadores presentes como a oportunidade ideal, também, para aprimorar a rede. São doze projetos divididos em três linhas de pesquisa focadas: Na diversidade vegetal e animal; na bioeconomia (desenvolvimento de produtos e processos); e na configuração socioeconômica, cultural e política da região da baixada maranhense.

Um dos primeiros trabalhos expostos para os pesquisadores foi o da “Caracterização Ecológica e Recuperação da Mata Ciliar no Baixo Curso do Rio Mearim”. O doutor em Agronomia Christoph Gehring, integrante do projeto, levantou questões como o prejuízo ocasionado pelo fenômeno da pororoca, no município de Arari e a elevação no nível do mar, que pode alterar a dinâmica fluvial do rio, naquela região.

Trabalho integrado de pesquisa – Para a coordenadora do Rebax, Zafira Almeida, o fato dos pesquisadores estarem todos reunidos será a oportunidade para que haja um trabalho integrado. “A partir do momento em que um pesquisador sabe do projeto do outro pesquisador, fica mais fácil fomentar uma complementação entre as propostas”, analisou.

Na visão do presidente da Fapema, Antônio Luiz Amaral Pereira, o fato da rede Rebax reunir cinquenta pesquisadores doutores e vinte e três mestres, já mostra o quanto há um envolvimento das instituições com a pesquisa para congregar ações que afastem o Maranhão da Pobreza. “É bastante interessante as condições que o Governo do Maranhão, através da Secretaria de Ciência e Tecnologia e da Fapema, tem dado para melhorar as condições de vida da nossa população. Nós teremos um grande número de projetos executados para melhorar a vida da população que convive nessa região”.

Todo o projeto de pesquisa deverá ser concluído apenas no final do ano que vem, até lá, novas rodadas de discussão de trabalhos devem ser realizadas. Os projetos foram aprovados em atendimento ao edital Fapema n° 32/2010 para execução no biênio 2012-2013. “Mas ao final deste encontro, já estaremos discutindo os resultados preliminares e também ações para fundamentar e lançar um novo edital, pois não podemos deixar que isso pare para fomentar a pesquisa nessa região da baixada”, finalizou o presidente da Fapema.

 

  Categorias: