Plantas aromáticas do cerrado maranhense são objeto de pesquisa apoiada pela FAPEMA

Plantas aromáticas do cerrado maranhense são objeto de pesquisa apoiada pela FAPEMA
junho 12 12:59 2013

IMAGEM - ÓLEOS ESSENCIAIS

Flores, roupas, assessórios, perfumes. Muitas são as opções de presentes para comemorar o Dia dos Namorados. Dentre esses presentes, os perfumes e óleos com aromas especiais, são os preferidos entre os casais. Os diversos aromas contidos nesses produtos são retirados dos óleos essenciais extraídos de plantas aromáticas. Uma pesquisa apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA está realizando a análise de plantas aromáticas do gênero lippia, além de desenvolver um inventário com as plantas aromáticas contidas no Parque Estadual do Mirador, no município de Mirador, e na Chapada das Mesas, no município de Carolina, Maranhão.

O Parque Estadual do Mirador e a Chapada das Mesas localizam-se na área do cerrado maranhense. Estas localidades apresentam uma grande diversidade de plantas aromáticas que estão sendo catalogadas pelo grupo de pesquisa de Química de Óleos Essenciais e Alimentos, coordenado pelo Prof. Dr. Odair dos Santos Monteiro do departamento de química da Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Os pesquisadores já conseguiram catalogar cerca de 60 espécies de plantas aromáticas.

A equipe está desenvolvendo a análise específica de plantas da espécie lippia gracilis, conhecida popularmente como alecrim-da-chapada. Esta planta possui um alto teor de óleo essencial, apresentando um aroma forte e agradável, além de ter a capacidade de agir no combate a fungos e bactérias. Uma das substâncias encontradas no óleo essencial do alecrim-da-chapada (lippia gracilis) foi o timol, um dos elementos responsáveis pelo aroma agradável e que ainda possui ação antiinflamatória. Os óleos essenciais são produtos naturais e possuem ações antifúngica e analgésica, podendo ser utilizados como forma de tratamento alternativo contra determinados tipos de bactérias.

A análise comprovou que o óleo essencial da espécie lippia gracilis tem a capacidade de prevenir doenças causadas por fungos e bactérias, além de ser utilizado na indústria de alimentos como conservante e aromatizante.

As fases da pesquisa consistem na coleta das plantas aromáticas do gênero lippia no cerrado maranhense, seguida da extração dos óleos essenciais, desenvolvendo posteriormente análises laboratoriais, visando fazer avaliações botânicas, biológicas e químicas dessas espécies. A intenção da equipe é poder utilizar os óleos essenciais dessas plantas, como forma de tratamento natural, tanto para os seres humanos, como no controle de pragas na agricultura.

Esta pesquisa está sendo financiada pelo edital da FAPEMA, Programa Primeiros Projetos – PPP N° 20/2011 . O prof. Odair declarou que o papel da Fundação está sendo essencial para a execução desse projeto e para o desenvolvimento científico do estado. “A FAPEMA é vital para os pesquisadores do Maranhão. O fortalecimento da Fundação implica no fortalecimento da pesquisa no estado e no desenvolvimento científico da região”, declarou.

  Categorias: