Políticas de apoio à inovação da FAPEMA são apresentadas em Workshop da UFMA

Políticas de apoio à inovação da FAPEMA são apresentadas em Workshop da UFMA
julho 09 23:12 2010

rosane-guerraEm um Estado ainda com pouca tradição de produzir novas tecnologias, a elaboração de políticas de apoio à inovação tem sido fundamental para colocar, de vez, as pesquisas científicas na agenda do setor produtivo maranhense.

Nesta sexta-feira (09), a diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Rosane Nassar Meireles Guerra, apresentou, durante programação do Workshop de Inovação e Transferência de Tecnologia Ufma-Empresa, as ações da instituição para estimular a inserção da cultura inovadora nas empresas locais.    

Antes de mostrar as políticas de apoio à inovação da Fapema, Rosane Guerra levantou o panorama atual dos investimentos em ciência e tecnologia (C&T) e da formação de recursos humanos no Brasil e no Maranhão. “Em relação ao restante do mundo, os investimentos, no país, são acanhados”, apontou a presidente da Fapema.

O empresariado começou a despertar para a necessidade de investir em inovação. Os recursos para o desenvolvimento de C&T, entretanto, ainda provêm, prioritariamente, do setor público. No Maranhão, a Fapema lançou, em 2010, os editais “Programa de Apoio a Pesquisas nas Empresas (Pappe-Subvenção Econômica)” – que dispôs R$ 1,4 milhão para a busca de soluções tecnológicas com possibilidade de inserção no mercado – e “Rhae – Pesquisador na Empresa”, que estimula mestres e doutores a desenvolver ideias para implantação no setor produtivo.

Entre os anos de 2000 e 2008, o número de doutores, no Estado, triplicou. “Precisamos manter esses profissionais que possuem alta qualificação em sintonia com as necessidades da sociedade, por meio das demandas das nossas empresas”, afirmou Rosane Guerra.     

Para difundir a cultura da inovação, a Fapema realizou, entre maio de 2009 e janeiro de 2010, quatro oficinas de estruturação de Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs), dez palestras sobre propriedade intelectual, oito wokshops de inovação, inclusive no interior do Estado, quatro encontros de inovação e o Primeiro Encontro de Inovação Tecnológica do Maranhão. Foram feitas, também, 23 orientações para registros de patentes, das quais nove se concretizaram. Em 2009, o Maranhão atingiu a marca recorde de 19 patentes.

Na mesa redonda sobre apoio às políticas de inovação, houve, ainda, palestras sobre a implantação de Redes de NITs, com Suely Silva Branco, da FINEP; As prioridades da Indústria na Política de Inovação, com o superientendente corporativo do IEL/FIEMA, Marco Antônio Moura da Silva; e Criatividade e a Inovação nas Pequenas Empresas, ministrada pelo analista do Sebrae/MA, Fernando Duailibe.

  Categorias: