Prêmio FAPEMA 2014: Cárie dentária pode estar associada à anemia em gestantes

Prêmio FAPEMA 2014: Cárie dentária pode estar associada à anemia em gestantes
dezembro 29 12:00 2014

A gravidez é caracterizada por diversas mudanças físicas e psicológicas que podem causar alterações sistêmicas, como hipercoagulação e anemia.

gestante 4 Durante a gravidez, alterações no sistema circulatório como vasodilatação e aumento da pressão venosa são comuns.  As mudanças fisiológicas da gravidez podem também apresentar reflexos na cavidade oral.

As gestantes estão mais propensas a desenvolver gengivite, doença periodontal e lesões tumorais benignas na boca, em relação às mulheres não grávidas.

Estas manifestações têm um processo etiológico relacionado às alterações na síntese de hormônios, como estrogênio, progesterona e gonadotrofina, e mudanças na resposta imunológica.

Nesse cenário, a estudante de Odontologia, Elisa Miranda Costa, sob orientação da professora doutora Erika Bárbara Abreu Fonseca Thomaz, desenvolveu a pesquisa Anemia e cárie dentária em gestantes: uma coorte prospectiva.

“Nosso objetivo foi avaliar o efeito da anemia no período gestacional e o risco de desenvolvimento de cárie dentária em mulheres grávidas. Analisamos se os fatores socioeconômicos e os cuidados com a saúde bucal influenciaram na atividade de cárie dentária dessas gestantes e observamos também os parâmetros séricos marcadores de anemia como fatores de risco ou proteção”, explicou a orientadora.

A amostra do estudo compreendeu gestantes com até 16 semanas de idade gestacional em acompanhamento pré-natal na Unidade Materno Infantil do Hospital Universitário da UFMA.

“Elas foram avaliadas em três momentos: até a 16ª semana de gestação, no último trimestre de gestação e no puerpério. Os dados coletados ao longo de dois anos renderam um estudo interessante, que inclusive será tema da minha monografia”, explicou Elisa.

A hipótese de que anemia apresenta associação com a atividade de cárie dentária foi parcialmente aceita, porém é salutar o desenvolvimento de novos estudos relacionados a este tema”, esclareceu Elisa Miranda Costa.

Com a elaboração da pesquisa, Elisa e Erika conquistaram o Prêmio FAPEMA 2014, na categoria Jovem Cientista, área de Ciências da Saúde.

“O Prêmio FAPEMA é uma forma de reconhecimento não só pelo meu trabalho e da professora, mas pelo esforço coletivo de todos os membros do projeto. Esse prêmio incentiva e impulsiona a pesquisa científica entre os alunos da graduação e pós-graduação, fazendo com que os mesmos tenham novas ideias com impacto para a ciência e os fatores sociais”, assegurou a estudante.

  Categorias: