Presidente da Fapema e embaixador da Bélgica discutem cooperação técnico-científica.

Presidente da Fapema e embaixador da Bélgica discutem cooperação técnico-científica.
outubro 27 13:00 2010

As áreas potenciais de parceria entre a Bélgica e o Maranhão em projetos de ciência e tecnologia foram discutidas nesta quarta-feira, 26, entre o embaixador da Bélgica, Claude Misson, e a diretora presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Rosane Nassar Meireles Guerra. A reunião foi realizada na sede da entidade e contou ainda com a presença da diretora de Pesquisa da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Rita Seabra.  A cooperação, segundo o embaixador, é possível, principalmente nas áreas espacial, nuclear, nanotecnologia, gestão portuária e vias navegáveis.
Fapema-e-Embaixador-da-Blg“O objetivo primeiro da minha visita aqui é ver quais os interesses do Maranhão em projetos nessas áreas que consideramos estratégicas para o Brasil”, disse o embaixador. Ele disse ainda que a Bélgica, apesar de ser um país de pouca extensão territorial, tem ainda experiência no setor da indústria, da prestação de serviços e da agricultura, áreas que também podem ser firmados acordos de cooperação. Claude Misson também falou sobre a possibilidade de parceria entre Bélgica e o Maranhão na capacitação de profissionais, em especial, dos que trabalham no porto do  Itaqui.
A diretora presidente da FAPEMA disse que o estado tem interesse em firmar as parcerias que, com certeza, fortalecerão as instituições de ensino do estado e a pesquisa. “Essa reunião é importante para estreitar os lanços entre o estado e a Bélgica”, destacou Rosane Guerra. Durante a reunião, o embaixador disse que enviará a Fapema a relação das universidades belgas para que a Fundação possa estreitar os laços e ver quais as parcerias viáveis.
Durante a reunião, Rosane Guerra mencionou o convênio que será firmado entre a Fundação e o instituto Francês INRIA – Instituto Nacional de Pesquisa em Informática e Automação. O convênio deve ser firmado até o final deste mês e o edital, resultado do convênio, lançado até o final do ano.
“O objetivo do edital é apoiar o desenvolvimento de projetos conjuntos de pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação, por meio do financiamento a atividades de cooperação entre pesquisadores vinculados às instituições sediadas no estado do Maranhão e pesquisadores do INRIA. O convênio com a Bélgica poderá ser semelhante a esse”, disse a presidente.

  Categorias: