Presidente da FAPEMA fará parte de delegação de FAPs em missão ao Reino Unido

Presidente da FAPEMA fará parte de delegação de FAPs em missão ao Reino Unido
outubro 17 19:01 2013

BRA UKA Rede Britânica de Ciência e Inovação e o Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) levam uma delegação, composta por nove agências brasileiras de amparo à pesquisa, ao Reino Unido entre os dias 19 e 25 de outubro. A presidente da FAPEMA, Rosane Guerra, fará parte do grupo que tem como objetivo a troca de experiências em energia de baixo carbono entre Brasil e Reino Unido.

O grupo, que é composto por agências de todas as regiões brasileiras (Araucária, Facepe, Fapeam, Fapeg, Fapemig, Fapema, Faperj, Fapesb e Fapesc) terá uma agenda cheia. Dentre os destaques estão uma reunião com o Research Councils UK, instituição equivalente à Confap, que apresentará o sólido mecanismo britânico de financiamento a pesquisas científicas, além de discutir possibilidades de cooperação com o Brasil.

“O Brasil e o Reino Unido são grandes parceiros na área de pesquisa científica”, conta Caroline Cowan, diretora de Ciência e Inovação da Embaixada Britânica em Brasília. “A missão será mais uma oportunidade de aprofundar e criar novos projetos de colaboração entre os dois países”, complementa.
As agências também encontram-se com a Universities UK, órgão que representa as universidades britânicas e que coordena o programa Ciência sem Fronteiras¹ no Reino Unido.

Alan Charlton, ex-embaixador britânico no Brasil, fará a abertura da reunião, que tem como objetivo divulgar as oportunidades para estudantes brasileiros que escolhem o Reino Unido como destino para estudos e pesquisas na área de energias de baixo carbono, na qual os britânicos tem grande expertise.

“O programa Ciências sem Fronteiras é uma ótima forma de aumentar a cooperação científica entre o Brasil e o Reino Unido. A ida de estudantes brasileiros para universidades britânicas é uma oportunidade muito rica para a troca de conhecimentos entre os dois países e a formação de futuros pesquisadores”, comenta Cowan.

A delegação também reúne-se com representantes de 17 universidades inglesas, quando discutirão sobre possibilidadesde acordos e colaboração em pesquisa.

  Categorias: