Primeira edição do projeto Colóquios FAPEMA 2012 discute a experiência dos Living Labs

Primeira edição do projeto Colóquios FAPEMA 2012 discute a experiência dos Living Labs
março 09 13:43 2012

Visto como uma nova alternativa para desenvolver o processo de inovação, a experiência dos “Living Labs” está em franca expansão mundial. Nasceu na União Europeia em 2006 e, desde 2010, se desenvolve no Brasil, tendo como um dos focos a inclusão tecnossocial.

TOPO-10Os “Laboratórios Vivos” são espaços para a inovação aberta e prática da pesquisa com foco no usuário final. O presidente da Rede Europeia de Living Labs, Álvaro de Oliveira, explica que a ideia do Living Lab é fazer com que o usuário final seja inserido no processo de inovação, relatando suas experiências, impressões e sugestões de melhorias.

“O Living Labs é um ecossistema de parcerias onde quem cria novo conhecimento, os pesquisadores, as empresas, os financiadores e poder público, ou seja, todos os agentes do processo de inovação, trabalham em conjunto com o usuário final, o cidadão, na perspectiva de desenvolver novas tecnologias, novos processos, novos produtos, novos serviços focado nas pessoas”, afirma Oliveira.

Para falar um pouco mais sobre a experiência dos Living Labs e sugerir sua aplicabilidade no Maranhão, a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão traz à São Luís o presidente da Rede Europeia de Living Lab, o português Álvaro de Oliveira. A palestra faz parte da primeira edição do projeto Colóquios FAPEMA 2012, que acontece no dia 12 de março (segunda-feira), às 14h30, no auditório do Palácio Henrique de La  Rocque, quando também serão apresentados os editais da Fundação para o ano de 2012.

LIVING LABS PELO BRASIL

Algumas experiências já podem ser vistas no país. No Espírito Santo, por exemplo, o Living Lab Habitat, formado por instituições do estado, tem como objetivos desenvolver e implantar tecnologias amigáveis ao meio ambiente para moradias na área urbana e rural. O propósito do Living Lab Habitat é desenvolver, com comunidades de baixa renda, tecnologias amigáveis ao meio ambiente para melhoria de condições das habitações urbanas e das propriedades rurais.

Já no Amazonas, a experiência dos Living Labs vem melhorando a vida de deficientes. Lá, o projeto da Fundação Desembargador Paulo Feitoza, que atua na área de acessibilidade, trabalha desenvolvendo produtos e pesquisas para melhorar a qualidade de vida de pessoas portadoras de necessidades especiais.

O que: Palestra sobre Living Labs, com Álvaro de Oliveira, presidente da Rede Europeia de Living Lab

Quando: 12 de março (segunda-feira), às 14h30, durante a solenidade de Lançamento dos Editais 2012

Onde: Auditório do Palácio Henrique de La  Rocque

  Categorias: