Projeto visa estruturar primeira coleção de Briófitas do Maranhão

Projeto visa estruturar primeira coleção de Briófitas do Maranhão
março 06 16:58 2015

3 - IMG 20140518 085521850Até o próximo ano o Maranhão terá estruturada a primeira Coleção de Briófitas para o estado e Meio Norte do Brasil (Piauí / Maranhão). As briófitas são plantas criptógamas avasculares, relativamente pequenas, comuns em ambientes úmidos, sombreados e quentes, sendo o segundo maior grupo de plantas terrestres depois das angiospermas.

As coleções de herbário constituem uma poderosa ferramenta para o conhecimento sistemático. Permitem a documentação permanente da composição florística de áreas que se modificam ao longo do tempo, seja pela ação antrópica ou por efeito de eventos e perturbações naturais que alteram irremediavelmente a cobertura vegetal original. Hoje, o Brasil conta com 226 herbários, dos quais 121 encontram-se ativos, 100 inativos e cinco estão em processo de transferência.

O projeto da Coleção está sendo realizado por um grupo de pesquisadores do Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC), da UEMA, sob a coordenação do professor doutor, Gonçalo Mendes da Conceição, com o apoio da FAPEMA. O objetivo é ampliar o conhecimento da fitodiversidade do Cerrado do Maranhão, realizando inventários florísticos e fitossociológicos no município de Caxias.

“Todas as atividades desenvolvidas para a consolidação da Coleção, estão a cargo dos bolsistas Maycon Adams da Silva Bonfim, Ingrid Caroline Abreu Soares, Dailma Lima Medeiros, Jadson Cardoso Lima, Werton Francisco Nobre Silva, Daniele Souza dos Santos e Maria da Conceição dos Santos Abreu”, conta o professor ao destacar o trabalho do grupo.

Quanto aos resultados, até o momento, segundo informou o pesquisador, a Coleção Briológica, da Coleção Botânica do CESC/UEMA, conta com 1.134 espécimes de Briófitas, distribuídas em 22 famílias, 43 gêneros e mais de 80 espécies.

“Os números desta Coleção são bastante expressivos e de suma importância para a efetivação e consolidação do conhecimento da fitodiversidade do Maranhão, incentivo a projetos de iniciação científica e treinamento para formação de recursos humanos em Briologia”, ressalta Gonçalo.

Execução do projeto e perspectivas

O projeto foi iniciado em Janeiro de 2014, com a contratação de quatro bolsistas para compor a equipe, desenvolvendo atividades de trabalho técnico a partir do levantamento Florístico Fanerogâmico. O processo inclui a separação de todo o material herborizado por grupos taxonômicos; qualificação e informatização de dados, com extração e atualização de dados das etiquetas, tiragem de fotografias das exsicatas; e elaboração do inventário florístico, com a elaboração de uma lista corrigida com os nomes científicos e o material examinado dos espécimes.

1 - SAM 9946

De acordo com o pesquisador, essas informações estão sendo usados para o preenchimento de um banco de dados digital, no programa “Faz Ficha”, para a confecção de novas etiquetas padronizadas, além de um banco de imagens que deverá ser usado na montagem de um herbário virtual no final do projeto.

Hoje, o CESC/UEMA possui duas coleções biológicas consolidadas e reconhecidas regional e nacionalmente, a Coleção Zoológica do Maranhão e o Herbário Aluízio Bittencourt, que caminha para a modernização de suas dependências físicas, contando com a colaboração de pesquisadores de várias instituições, especialistas em grupos botânicos e em estudos ecológicos.

“Com a aprovação do projeto de “Estruturação e Manutenção” com recursos da FAPEMA, logo se terá um local específico e apropriado com toda a estrutura necessária para a acomodação das exsicatas, dando continuidade aos estudos em botânica para a nossa região”, conta Gonçalo.

  Categorias: