Reitor quer impulsionar produção de ciência e tecnologia na Uema

Reitor quer impulsionar produção de ciência e tecnologia na Uema
janeiro 07 13:32 2011

POSSE-COM-PRESIDENTEEmpossado para mais quatro anos frente à Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), o reitor José Augusto Silva Oliveira afirmou, em seu pronunciamento, que a pós-graduação e a pesquisa serão impulsionadas na universidade, como forma de contribuir com o governo do Estado na geração de empregos e riquezas. “Somente capacitada do ponto de vista científico e tecnológico é que a universidade poderá apoiar o desenvolvimento do Maranhão, nos diversos setores e aspectos”, enfatizou o reitor.

A declaração foi feita na cerimônia de posse do Conselho Universitário da UEMA, realizada nesta quinta-feira (06), na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, com a presença do Secretário Estadual de Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico, José Bernardo Bringel (representante da governadora Roseana Sarney), da Secretária de Educação, Olga Simão, da diretora-presidente da FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra, além de outras autoridades acadêmicas.MESA

Na cerimônia, também tomou posse o vice-reitor Gustavo Pereira da Costa, de quem o reitor disse esperar parceria. José Oliveira apontou a necessidade de expansão do quadro de pesquisadores da UEMA. “Em uma casa de altos saberes, o investimento deve ser na valorização daqueles que nela se dedicam ao ensino e a pesquisa. A melhor universidade é a universidade dos melhores”, destacou.

O primeiro encontro entre o reitor e o novo secretário da SECTEC aconteceu na FAPEMA, com a participação da diretora-presidente. Na reunião, foi assinalada uma interação mais efetiva entre as instituições que fazem parte do sistema estadual de ciência e tecnologia. “O apoio da FAPEMA é muito importante. Muitos professores e alunos da UEMA têm benefícios da Fundação”, reconheceu Oliveira.

Essa proposta está em harmonia com a política estabelecida pela governadora Roseana Sarney, que quer agregar esforços de todas as áreas do conhecimento, da sociedade civil e instituições locais, para desenvolver o Maranhão. “Essa união dará maior condições para que nossos programas tenham resultados acima do que deram até hoje”, apontou Bringel, lembrando que o Estado vive num momento de euforia, com a chegada de novos investimentos. “Todos esses investimentos vão requerer infraestrutura e desenvolvimento social, que devem partir da ciência e tecnologia”, concluiu o secretário.

  Categorias: