Rodada de palestras marca o 2º dia do III Encontro de Inovação do Maranhão

Rodada de palestras marca o 2º dia do III Encontro de Inovação do Maranhão
outubro 16 18:51 2011

WorkshoppO segundo dia do III Encontro de Inovação do Maranhão, promovido pela Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia e pela FAPEMA, foi aberto com uma discussão fundamental quando o assunto é inovação: o sistema de patentes. Alberto Moreira da Rocha, chefe do Escritório de Difusão Regional-Nordeste do INPI, ressaltou a importância do sistema de patentes que, além de proteção, funciona como uma riquíssima fonte de informação tecnológica. “O mais importante que eu reputo é a utilização do sistema de patentes e de toda sua informação técnica para ajudar outros pesquisadores a desenvolverem um determinado produto ou tecnologia e fazer com que ele não comece do zero, mas sim aperfeiçoe o que já existe, queimando etapas e diminuindo custos”.

O segundo a conduzir as discussões foi o Professor do curso de Turismo da UFMA, Anderson Miranda. Com MBA em administração, sua palestra sobre “Inovação Empresarial no Maranhão: Ações Incrementais, a Criatividade e a Perseverança do Micro e Médio Empreendedor” empolgou a plateia. “O novo está em moda, quem faz algo novo se destaca. É preciso sair da mesmice e criar novos modelos. A inovação pode ser feita em qualquer lugar, por qualquer pessoa”, disse. Para ilustrar a explanação, Anderson Miranda trouxe vários cases locais e mostrou que ações simples e inovadoras podem garantir o sucesso nos negócios.Palestrantes1

Fechando a manhã, Marco Antônio Nunes, representante da Finep (Financiadora de Empresas e Projetos), foi responsável por abordar um tema que instigou o púbico a participar, o fomento de projetos inovadores. “Para que um projeto seja contemplado, ele só precisa ter conteúdo inovador”, explicou. Além disso, Nunes falou sobre alguns programas de incentivo, como o PAPPE e o Prime, que estão passando por um processo de reformulação e podem até ser substituídos por um novo modelo, o Programa de Apoio à Inovação em Microempresa e Empresas de Pequeno Porte, possibilitando a descentralização e a capacitação de parceiros técnicos, inclusive na prestação de contas.

Na parte da tarde, a inovação mais uma vez foi abordada, desta vez, por Valdinar Santos, consultor de Inovação do SEBRAE, com a palestra “Inovação para Crescer com Sustentabilidade”. “O próprio consumidor está mais exigente e, por isso, as empresas precisam inovar. E a inovação é uma questão de atitude. Só vamos inovar quando nós decidirmos”, disse.

Depois, foi a vez do Prof. Dr. Marcos Tadeu Rezende, do departamento de Engenharia Elétrica da UFMA, apresentar uma coletânea de invenções do Maranhão. Antes, ele falou sobre invenção, que, segundo a lei de patentes, é um produto ou processo novo ao estado da técnica. Entre as inovações, algumas em especial chamaram a atenção do público, como o tênis com velocímetro e odômetro; o xadrez esportivo cultural, em que as peças são personagens do cangaço; o orelhão ecológico, que possui tecnologia de celular e é recarregável por meio de energia solar; e a cobertura de telhado sem madeiramento, que além do menor custo e da alta durabilidade, evita o aparecimento de cupins e outros insetos.

Palestrantess2A última palestra da noite foi ministrada pela Drª. Djane Santiago, Coordenadora do NIT do IFBA. Com o tema “Experiência de uma Pesquisadora: Constituição de uma Cooperativa dos Produtores de Licuri”, Santiago abordou o processo de como sua pesquisa sobre o fruto conseguiu transformar a vida de uma comunidade de produtores.

WORKSHOP – Paralelamente, João Berto, do SEBRAE, conduziu um momento de troca de experiência entre inventores, com a participação de representantes da FIEMA, FAPEMA, INPI, NIT’s e Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia. Na ocasião, inventores falaram sobre seus anseios e dificuldades na hora de desenvolver e comercializar um novo projeto. “É unânime! Ninguém consegue industrializar aquilo que criou. É preciso formatar um modelo para atrair investidores de capital de risco”, atentou o inventor e engenheiro eletrônico, Gilberto Lopes.

Com a participação de instituições de amparo e fomento, foram discutidas formas de captação de recurso e estratégias de marketing como uma ferramenta para tornar o invento um objeto de desejo. O Sr. João Francisco Padilha é inventor da cidade de São Bento. Ele veio a São Luís participar da Feira do Empreendedor e lamentou que pessoas do interior tenham ainda mais dificuldade. “Os empresários do Maranhão são muito receosos para investir, porque há pouco incentivo”, disse.

Uma das saídas discutidas foi a criação de um comitê e uma associação formados por inventores e representantes destas instituições para apoiar, assessorar e prestar orientações sobre marketing, financiamentos e patentes, por exemplo, que atue permanentemente.

LEI ESTADUAL DE INOVAÇÃO – No domingo (16), além de palestras e atividades, será discutida a lei estadual de inovação, a partir das 14h, com a participação de Antônio Renildo Santana Souza, diretor de Inovação da FAPESB.

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia e a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado Maranhão (FAPEMA) tem como parceiros na realização do III Encontro de Inovação do Maranhão a Federação das Indústrias do Estado Maranhão (FIEMA), Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Associação dos Jovens Empreendedores do Maranhão (AJE-MA) e Secretaria de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (SEDINC).

 

 

 

 

  Categorias: