Selecionados primeiros inventos que serão expostos no III Encontro de Inovação

Selecionados primeiros inventos que serão expostos no III Encontro de Inovação
setembro 20 15:46 2011

parabikeA comissão organizadora do III Encontro de Inovação do Maranhão esteve reunida nesta segunda-feira, 19, para selecionar os primeiros inventos que serão apresentados entre 14 e 16 de outubro no Multicenter SEBRAE, durante o evento que vai reunir projetos inovadores que tenham potencial de negócios para compor a exposição do Encontro, dentro da Feira do Empreendedor. 

Integram a comissão a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Associação dos Jovens Empreendedores do Maranhão (AJE-MA) e a Secretaria de Indústria e Comércio do Estado do Maranhão (SINC). A comissão irá selecionar outros inventos na próxima segunda-feira, 26.

Entre as ideias apresentadas nesta segunda-feira está a “Parabike”, que é um sistema híbrido formado por uma bicicleta e uma cadeira de rodas, que objetiva melhorar a locomoção do cadeirante. O criador dessa invenção é o engenheiro mecânico Celso Oliveira. Ele observou algumas vantagens da invenção para a sociedade. “A Parabike tem um potencial de negócio muito grande, porque em termos de valor de mercado uma cadeira de rodas elétrica custa R$ 7 mil. Já a Parabike vai custar em média R$ 500,00 a R$ 700,00, dependendo do modelo e da nobreza do material que irá ser colocado, alumínio, aço ou metalon. Além de melhorar o desempenho da mobilidade e a qualidade de vida do cadeirante e das pessoas que aderirem ao uso”, declarou. 

letreiro-de-txi.2Outro projeto que se destacou na seleção foi o do inventor Jecefran Martins, um letreiro de fachada movido a energia solar, que não requer mais energia convencional para iluminação noturna de fachadas, e um letreiro para taxista, que também não necessita de fios elétricos para geração de luminosidade. “O primeiro invento fiz ao observar uma pessoa levando um choque, daí, desenvolvi o projeto que é um letreiro com energia renovável, energia solar, viabilizando a não utilização da eletricidade. Isso implica dizer que é ecologicamente correto e que sua principal vantagem está na economia de energia e capacidade de iluminar uma fachada em até 12 horas com energia renovável. O letreiro para taxista funciona com energia eólica, ou seja, o projeto utiliza energia do vento produzida pelo carro para gerar corrente e acender o letreiro de táxi sem a necessidade de qualquer tipo fio”, explicou.

Para o coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica da UEMA, Antônio Francisco Fernandes de Vasconcelos, os trabalhos demonstram vários aspectos positivos no âmbito mercadológico. “Todos os trabalhos apresentados aqui possuem foco de mercado, impacto sustentável e social. Com essas apresentações selecionamos os melhores projetos e com maior viabilidade para o Estado. A intenção é também captar parceiros que possam tocar esses projetos adiante, financiando o desenvolvimento desses protótipos e convertendo-os em produtos de transferência tecnológica para a sociedade”, afirmou.

O representante do SEBRAE, João Alberto Santos Ferreira, analista de sistemas especializado em governança e tecnologia da informação, também avaliou a seleção como um momento de grande estima para o Estado.  “Constatamos que aqui, no Maranhão, temos mentes com ideias brilhantes, que além de solucionar problemas de ordens sociais e ecológicas, agregam grande valor de mercado, gerando modelos de inovação que podem ser usados pelo mundo inteiro. Não é simplesmente um invento, um protótipo, nós acabamos de assistir a apresentação de modelos e produtos que terão grande aceitabilidade no mercado”, comentou.

Rosely Grisotto, coordenadora de inovação e empreendedorismo da FAPEMA, representa a Fundação na comissão. Para ela, o III Encontro de Inovação será um momento oportuno para intercâmbio de conhecimento e fechamento de negócios. “Hoje pudemos conhecer um pouco do potencial que o Estado tem a oferecer em inovação. Esperamos atrair um grande número de empresários e mediar esse contato entre a iniciativa privada, academia e inventores locais”, finalizou.

  Categorias: