SEMIC Jr da FAPEMA integrará programação da SBPC Jovem

SEMIC Jr da FAPEMA integrará programação da SBPC Jovem
julho 06 21:51 2012

icjuniorA partir do próximo dia 22 de julho, São Luís vai sediar a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a SBPC. Como parte da mostra paralela ao evento, acontecerá a SBPC Jovem, em que será realizado o Seminário de Iniciação Científica Jr. (SEMIC Jr) organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão, a Fapema.

Os projetos que vão ser apresentados foram aprovados pelo edital PIBIC Junior Fapema/CNPq e pelo Programa Maranhão Faz Ciência – Prociência. O programa visa estimular a participação de professores e estudantes da rede estadual de ensino no desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contribuindo para a formação de estudantes, a partir do sexto ano da educação básica e de educação de jovens e adultos, além de desenvolver habilidades relacionadas à educação científica

Ao todo, trinta e oito projetos foram selecionados. A mostra vai acontecer no auditório do prédio do Curso de Farmácia da Universidade Federal do Maranhão. A abertura será no próximo dia 25 de julho com a apresentação de trabalhos nas áreas de ciências biológicas, ciências da saúde e ciências agrárias, a partir das duas da tarde. A programação continua no dia 26, com painéis sobre ciências humanas e sociais, além de programas sobre ciências exatas e da terra.

São projetos inovadores como o dos estudantes Antônio Pereira Júnior e Joseane Sousa de escolas do Ensino Médio no município de Chapadinha, que pesquisaram o desenvolvimento de um medicamento fitoterápico para o combate aos carrapatos em bovinos, utilizando uma planta muito conhecida dos maranhenses: o peão manso. O composto das sementes da planta já é utilizado para a produção de bicombustível. A experiência dos estudantes extraiu componentes tóxicos desse composto para ser transformado em um veneno para eliminar o carrapato nos bois. “Os estudos nos levaram a identificar vários componentes tóxicos, isolando compostos. A partir daí nos concentramos nas ações que poderiam eliminar de vez as larvas dos carrapatos em diferentes concentrações”, explicou o orientador do projeto, professor Lívio Martins Costa Júnior.

            Todo o mecanismo que levou a esse carrapaticida, a forma como o experimento foi conduzido, a produção do extrato até os resultados da pesquisa, vão ser mostrados durante a exposição e vão ser avaliados por uma banca de professores doutores convidados para conhecer a mostra.

            A exposição do trabalho só foi possível por conta das bolsas concedidas pela Fapema, através do programa de Iniciação Científica Júnior – IC-Jr, que tem como objetivo principal incluir estudantes do ensino médio e profissionalizante da rede pública, nas atividades de ciência, tecnologia e informação e, a partir daí, contribuir com o desenvolvimento de atividades científicas. “Tão importante quanto o resultado é justamente a concentração e o esforço que esses estudantes têm em aprender”, confirma o professor Costa Júnior.

            Pesquisas na área de ciências humanas sobre a religiosidade afro-maranhense em festas populares; e na área de ciências exatas sobre como a química e a física podem ajudar na identificação do índice de qualidade da famosa cachaça tiquira feita em alguns municípios, também vão fazer parte da exposição durante os dois dias do evento.

 Parceria – Os trabalhos têm a parceria do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq. “A intenção principal da Fapema é despertar a vocação científica e também apresentarmos o que esses estudantes tem feito aqui no Estado. Já temos ótimos resultados com esses alunos e percebemos que isso é de fundamental importância e vamos continuar os inserindo na pesquisa, pois eles se sentem motivados e no futuro serão pesquisadores brilhantes”, avalia Márcia Maciel, assessora de planejamento da Fapema.

  Categorias: