Seminário de Iniciação Científica é aberto na SBPC

Seminário de Iniciação Científica é aberto na SBPC
julho 26 15:36 2012

Cerca de 83 projetos das áreas de agrárias, biológicas, saúde, terra, humanas e sociais,  inscritos por estudantes da capital e interior do Estado na SBPC Jovem estão sendo apresentados, em forma oral e de banners, no prédio de mestrado de ciência da saúde, na cidade universitária, Campus da Universidade Federal do Maranhão.Os projetos foram aprovados pelo edital PIBIC Junior Fapema/CNPq e pelo Programa Maranhão Faz Ciência – Prociência.

O programa tem como objetivo estimular a participação de professores e estudantes da rede estadual de ensino no desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contribuindo para a formação de estudantes, a partir do sexto ano da educação básica e de educação de jovens e adultos, além de desenvolver habilidades relacionadas à educação científica.

semicO presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, Antonio Luiz Amaral Pereira, abriu oficialmente na tarde de quarta-feira, 25, o Seminário de Iniciação Científica que está inserido   na programação da 64ª Reunião da Sociedade Brasileira para Progresso da Ciência-  SBPC.

Antônio Luiz destacou a importância do evento para alunos e professores. “È momento importante para esses jovens que têm a oportunidade desenvolvimento científico desde cedo”, declarou o presidente.

A exposição tem como objetivo principal incluir estudantes do ensino médio e profissionalizante da rede pública, nas atividades de ciência, tecnologia e informação e, a partir daí, contribuir com o desenvolvimento de atividades científicas.

 Entre os alunos está a jovem Tatiana Santos, 16 anos, estudante do curso de floresta, no IFMA Campus de Açailândia, que apresentou análise microbiológica de água de riachos próximos a BR 010, que apontou alto índice de poluição por meio de lixo e esgotos despejados diretamente nos riachos comprometendo a balneabilidade e contribuindo para doenças da população ribeirinha.

A jovem se diz duplamente feliz, primeiro por estar contribuindo para melhoria de vida de seu povo e depois por estar participando da SBPC Jovem por intermédio do Semic Jr da FAPEMA. “Acho bonito o incentivo que a Fapema  proporciona aos jovens também do interior do estado, porque foi por essa  oportunidade, do Semic Jr, que estamos todos aqui mostrando nosso trabalho”, observou.semicc

A assessora de Planejamento e Ações Estratégicas da FAPEMA, Márcia Maciel, explicou que a questão da interiorização para instituição é vista como trabalho dinâmico de forma a trazer alunos que fazem e produzem ciência pura e aplicada e dar maior visibilidade aos projetos por eles produzidos. “O Semic Jr é forma de estarmos juntos com eles e incentivá-los na produção e resultado dos trabalhos”, pontuou.

Quem apresentou na sala de aula o projeto de forma oral foi a jovem do terceiro ano do ensino médio do município de Caxias, Mônica Kelly Alves, que tratou sobre a pesquisa de levantamento sobre os saturmídeos, na Reserva Ecológica do Inhamum-REI. Ela falou da experiência com o estudo e da satisfação em aumentar seus conhecimentos e oportunidade de divulgá-los em um dos maiores eventos de ciência da América Latina. “Eu acho a iniciativa grandiosa da Fapema em nos colocar aqui na SBPC,um evento  tão importante de nível nacional e internacional. Eu nunca tinha participado e não fazia ideia da grandiosidade. Estou feliz”,declarou .

“É grande oportunidade que Fapema encontrou junto a SBPC de divulgar o que está sendo desenvolvido por alunos de várias escolas no estado em se tratando de ciência  e tecnologia”, afirmou  Márcia Maciel.

Para o professor Janilson Lima, que acompanhou as apresentações quem ganha com o resultado do Semic Jr apoiado pela Fapema, é a sociedade. “Acho muito bonito a iniciativa da FAPEMA, que contribui para o ingresso do aluno no mundo científico e faz com que todos ganhem,aluno, estado e sociedade”, observou.

Com a  mesma opinião falou a avaliadora, professora mestra do Campus do Centro Histórico do IFMA, na capital, Patrícia Brito, que lembrou sua época não dispunha dessa oportunidade. “ A Fapema vem preencher uma lacuna que não existia na minha época, que é descobrir, incentivar e valorizar alunos do ensino médio, técnico a iniciação científica com pesquisa e resultado social”, explicou.  Segundo a professora é uma oportunidade que introduz o aluno no universo da pesquisa e quando esse aluno chegar na universidade já terá despontado sua aptidão e com uma bagagem fortalecida. “Há aqueles alunos que irão acordar para ciência e outros que descobrirão o desejo e aptidão para conhecimento científico”,disse .

O professor Edson Fernandes , da IFMA, chapadinha , já participa da terceira vez da rodada com alunos e que a iniciativa é bem interessante tanto para alunos como para professor que acompanha. “o Semic Jr aqui na SBPC enche os alunos de orgulho e ainda mostra que ele é capaz de ter bons resultados na vida , seja no vestibular , no Enem ou em outras atividades”, concluiu.

Participaram da abertura a Diretora Científica da FAPEMA, Rita Seabra e a Coordenadora do setor de Auxílio, Mônica Virginia , alunos, professores,pesquisadores e avaliadores da capital e interior do Estado.

 

 

  Categorias: