Seminário do PPSUS aproxima pesquisas do sistema de saúde

Seminário do PPSUS aproxima pesquisas do sistema de saúde
junho 10 14:48 2010

FOTO-1_bAplicabilidade de pesquisas voltadas para problemas prioritários de saúde no Maranhão e fortalecimento da gestão do Sistema Único de Saúde. Essa foi a tônica do início dos trabalhos do Seminário de Avaliação Final do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde – PPSUS 2007/2010.

Na abertura do seminário, nesta manhã (09), o analista da coordenação do Programa de Pesquisa em Saúde do CNPq, Marcos Matos, destacou que o CNPq “vê com bastante satisfação a iniciativa e que esse é o momento para se analisar os produtos dos projetos que foram desenvolvidos ao longo de dois anos e que podem ser posteriormente aproveitados pelo SUS”.

A consultora técnica do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Nair Ramos Sousa, compartilhou desta opinião ao afirmar que o objetivo do PPSUS é retirar a pesquisa da academia e inseri-la nos serviços de saúde e, sobretudo, estimular a pesquisa em estados menos desenvolvidos e com mais carência nessa área.

“O estado tem passado por uma revolução na área da saúde. Até bem pouco tempo, 66 municípios não tinham unidades básicas de saúde. Hoje, essa realidade mudou e, além disso, reforçamos as unidades de média complexidade e iremos inaugurar mais oito unidades de pronto atendimento. O desenvolvimento de pesquisas associadas ao setor e o aumento dessa interação entre a Fapema, a secretaria e o Ministério da Saúde é fundamental para o Maranhão ter um novo modelo de atenção à saúde”, avaliou o secretário de Estado da Saúde, José Márcio Leite.

Para Rosane Guerra, diretora-presidente da Fapema, que é o agente executor do programa no Maranhão, “a descentralização de recursos que são destinados aos pesquisadores locais, com foco nas prioridades apontadas pelo poder público maranhense, é outra vantagem do PPSUS”. Ela também anunciou durante seu pronunciamento que nesta semana foi finalizada a avaliação dos projetos do edital PPSUS/2009, que terá vigência no biênio 2010/2012.

FOTO-2_bA presidente da Fapema antecipou que das 23 propostas inscritas, 17 foram enquadradas, e nove foram aprovadas. “Como todo o recurso que estava previsto para este edital não será utilizado, o entendimento do comitê gestor é que o montante restante seja alocado num próximo edital. Aproveito para convidar os pesquisadores e representantes das secretarias estadual e municipais para participar das oficinas que definirão as diretrizes desse próximo edital”, completou. O resultado dos projetos aprovados no edital 012/2009 estará disponível na página eletrônica da Fapema até a próxima segunda-feira (14).

Durante a manhã desta quinta-feira, cinco projetos na área “Saúde da Criança e da Mulher” foram apresentados a uma comissão composta por especialistas locais e do nordeste, de diferentes instituições de ensino. À tarde, serão apresentados os estudos nas áreas “Doenças Transmissíveis”, “Doenças Não Transmissíveis”, “Saúde, Ambiente, Trabalho e Biossegurança”, “Alimentação e Nutrição” e “Comunicação e Informação em Saúde”.

  Categorias: