Stand do ICRIM simula cena de crime e explica sobre Perícia na SNCT MA 2014

Stand do ICRIM simula cena de crime e explica sobre Perícia na SNCT MA 2014
outubro 17 11:25 2014

ICRIMUm corpo estendido no chão, próximo dele um projétil. Xícaras com saliva, copos com marcas de batom. Cadeira e vasos derrubados. Um celular e um bilhete.

Uma cena de crime montada com todos os detalhes. Digitais e mais elementos que irão contribuir para elucidação do crime estão à mostra no estande do Instituto de Criminalistísca e Medicina Legal – INCRIM, na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT, montada na área externa do São Luis Shopping.

A equipe de peritos técnicos da Secretaria de Estado de Segurança Pública está atenta aos visitantes que são atraídos pela curiosidade da cena. A Perita criminal farmacêutica, Thayane Neiva Martins Bermudes, conta que a cena é rica em detalhes e por isso desperta atenção do público e a primeira ação da polícia é isolar o local para que haja conservação dos vestígios.

“O que temos aqui é cena de crime quando os peritos chegam ao local e então o trabalho da perícia é analisar os vestígios que possam estar na cena”, disse.

A Perícia Técnica Científica é composta de Seções, que são: Seção de Balística, Documentocospia, Acidente de Tráfego, laboratório de Análise Forense, Engenharia, Papiloscopia, Crime contra a Pesca, Crime Ambiental (flauna, flora, extração mineral e crime na área de dunas) ainda Seção de Fonética, onde são analisados áudios em mídia digital, Seção de Informática, onde são examinados hardware nos computadores.

“Todas as seções estão interligadas, porque todas precisam uma da outra para poder elucidar um crime”, afirmou a perita Thayne Bermudes.

O perito farmacêutico legista, Thiago Aharon, conta que na cena exposta há duas xícaras, e nelas há saliva, e esse material genético é encaminhado para Laboratório de DNA para ser analisado se é da pessoa suspeita ou não.

“A mesma coisa fazemos com as digitais deixadas no copo, que é encaminhado para Papiloscopia, onde é feito uma análise digital e comparado com o do suspeito”, contou.
A análise da cena segue com o aparelho celular que é encaminhado para Seção de Informática, onde serão examinadas as mensagens, vídeos e ligações que possam estar relacionadas ao crime. O bilhete perto em cima da mesa é outro elemento a ser examinado.

“O bilhete é encaminhado para Seção Documentocospia para análise grafotécnica e então comparado com grafia da pessoa suspeita“, concluiu a perita Thayane Bermudes.
Todo o trabalho e outros detalhes dessa equipe de profissionais pode ser conhecido no estande do INCRIM,até sábado,18, dia encerramento da SNCT.

  Categorias: