Sustentabilidade ambiental na área maranhense do Delta do Rio Parnaíba é tema de estudo

Sustentabilidade ambiental na área maranhense do Delta do Rio Parnaíba é tema de estudo
março 24 14:13 2015

Aspecto da Lagoa do Bacuri- Magalhaes de AlmeidaO Maranhão é conhecido e reverenciado nacionalmente por suas belezas naturais. Lençóis Maranhenses, Delta do Rio Parnaíba, Chapada das Mesas são só alguns exemplos da diversidade e riqueza deste estado.

No entanto, uma preocupação sempre ocorre quando são analisadas as relação entre homem e natureza nestas localidades. Este é exatamente o questionamento do Prof. Dr. Antonio Cordeiro Feitosa, coordenador de uma pesquisa que analisa práticas e uso no planejamento das atividades com vistas à garantia da sustentabilidade, a sustentabilidade socioeconômica através de indicadores de qualidade ambiental urbana e a sustentabilidade dos recursos ambientais para a exploração da natureza com a conservação de recursos do Delta do Parnaíba.

Intitulada “A sustentabilidade ambiental na área maranhense do Delta do Rio Parnaíba”, a pesquisa tem como objetivo analisar os fluxos naturais e as ações desenvolvidas no âmbito das relações entre as comunidades residentes na área maranhense do Delta do Paranaíba, sob a ótica do desenvolvimento sustentável. “Com o desenvolvimento do estudo, propõe-se a realização de estudos sistemáticos das relações da população residente com o ambiente em que vive e atua através de técnicas de sensoriamento remoto, pesquisa de campo e instrumentalização de lideranças comunitárias para o diagnóstico e uso racional dos recursos ambientais”, explica o pesquisador.

A área maranhense do Delta do Parnaíba fica localizada no extremo leste do estado e, conforme definido no projeto, possui uma área de 7.238,746 km², sendo formada pelos municípios de Água Doce do Maranhão, Araioses, Magalhães de Almeida, São Bernardo, Santana do Maranhão, Paulino Neves e Tutóia, totalizando uma população de 177.117 habitantes.

Cordeiro explica que, em alguns ambientes, as limitações dos recursos naturais condicionam o emprego de técnicas ainda incipientes nas relações homem-natureza. “Estamos analisando o espaço de relações dosmoradores destes municípios com o ambiente no qual são realizadas asações diretas de exploração dos recursos naturais para o exercício dasobrevivência. Tais ações são praticadas através da agricultura, pesca e os tratosculturais de algumas espécies vegetais e criação de animais, e as manifestaçõesculturais que povoam o imaginário das comunidades dos moradores”, diz.

O estudo focaliza a articulação dos processos de apropriação da natureza e da produção cultural, técnica e artística de modo a constituir uma estrutura organização em rede para fomentar o desenvolvimento local. “Apesar da antiguidade dos primeiros núcleos de colonização do litoral leste maranhense, os estudos dessa região são recentes e necessitam de revisões, pois abordam temas pontuais em publicações avulsas”, justifica o pesquisador que, para a realização do trabalho, recebe o apoio da FAPEMA, por meio do edital Universal nº 01/2013.

Como resultados, Antonio Cordeiro Feitosa espera o desenvolvimento de bases cartográficas, com elaboração de cinco tipos de mapas compatíveis com o tema Trabalho de campo para georreferenciamentoabordado e o tamanho do município referente aos aspectos sociais e ambientais contribuindo para desenvolvimento de pesquisas para os municípios contempladoscom a elaboração do programa. “Pretendemos também gerar e agregar informações georreferenciadas através dos mapas emescala municipal e posteriormente de mapas da região às atividades degerenciamento e planejamento como subsídio para órgãos gestores locais eregionais, além de disponibilizar os mapas gerados dentro do projeto para todas as escolasde ensino fundamental dos municípios, como subsídios para melhoria da qualidadeda educação das localidades contempladas com o projeto”, conta o pesquisador.

No âmbito do projeto, foi elaborada uma Dissertação de Mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade de Ecossistemas-UFMA, de ações junto à comunidade Lagoa do Bacuri, por meio da pesquisa-ação “Turismo Sustentável na lagoa do Bacuri, município de Magalhães de Almeida-MA”, também com apoio da FAPEMA. Também foi desenvolvida uma jornada de campo para georreferenciamento. “Foram elaborados, ainda, diversos estudos apresentados em eventos de nível regional, nacional e internacional e estão sendo produzidas várias monografias de graduação em Geografia da UFMAcom estudos voltados para temáticas como: Vulnerabilidade Ambiental, Planejamento e Gestão, Mudanças Vegetacionais e Turismo na área de abrangência do projeto”, finaliza Antonio Cordeiro Feitosa.

  Categorias: