Talento de pesquisadores maranhenses reconhecido no Prêmio Fapema 2011

novembro 14 13:54 2011

Os 400 anos de São Luís serão destaque na solenidade de entrega do Prêmio Fapema 2011, maior premiação científica do Norte/Nordeste. O prêmio, uma iniciativa do Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), tem como objetivo reconhecer o talento dos pesquisadores locais e estimular a divulgação cientifica e tecnológica do Maranhão. A entrega dos troféus aos vencedores acontecerá no dia 5 de dezembro, no Hotel Luzeiros. Premio

A solenidade será presidida pela secretária de Ciência e Tecnologia, Olga Simão, e pela diretora presidente da FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra. O resultado do prêmio foi divulgado no último dia 8 e está disponível no site da Fapema (www3.fapema.br).

Este ano o tema do prêmio é “São Luís 400 anos: Revisitando o passado e construindo o futuro”. Os detalhes da solenidade de entrega dos troféus foram discutidos na última quarta-feira (9), durante reunião na sede da Fundação, com participação da presidente da instituição e de representantes da comissão organizadora do evento.

Durante a solenidade, convidados e premiados terão a oportunidade de conhecer mais sobre a história de São Luís, por meio de uma exposição de fotos da capital maranhense. Além da exposição, está prevista ainda a declamação de poesias a São Luís por artistas locais.

Rosane Guerra destacou que a escolha do tema aconteceu em momento oportuno. “Várias instituições já estão se articulando em torno dos preparativos para as comemorações do quarto centenário de São Luís. E como agentes de fomento à ciência e pesquisa, também poderemos dar nossa contribuição, suscitando entre os pesquisadores e a academia a discussão desse assunto”, enfatizou.

Premiados

Ao todo, foram aprovadas 21 propostas, totalizando 35 premiados, considerando os orientadores. A avaliação foi feita por consultores “ad hoc” das universidades federais de Ouro Preto, do Mato Grosso, Fluminense, do Tocantins, do Ceará, do Maranhão, do Uniceuma e da Fundação Oswaldo Cruz, do Rio de Janeiro.

Além de uma premiação em dinheiro que varia de R$ 1.800,00 a R$ 6.500,00, dependendo da categoria, os vencedores vão receber ainda troféus e certificados. “Foram escolhidos os trabalhos mais inovadores e importantes para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação do estado”, afirmou Rosane Guerra.

A presidente observou que os trabalhos têm sido bastante elogiados pelos consultores de fora do estado. “Os elogios são pelo nível dos trabalhos e pela qualificação dos proponentes”, contou a presidente acrescentando que a cada ano o prêmio atrai um número de pesquisadores maior e mais qualificado. Este ano, o Prêmio está em sua sétima edição. “A ideia é que as pessoas ao serem premiadas se sintam orgulhosas disso por conta desse reconhecimento nacional em relação não só ao projeto enviado, mas ao currículo, a produção acadêmica científico também”, completou Rosane Guerra.

O professor doutor, Francisco Eduardo de Andrade, da Universidade Federal de Ouro Preto (MG), um dos avaliadores dos trabalhos, disse que o que se percebe é que há um avanço da pesquisa científica no Maranhão. “Observamos um amadurecimento dos pesquisadores, e as temáticas são todas relevantes, abordando questões que são importantes para o desenvolvimento do estado”, disse.

A coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Mato Grosso, professora doutora Maria Tereza Azevedo, destacou a importância do prêmio para o incentivo à pesquisa no estado. “Acho que esse Prêmio é bastante interessante, ele estimula muito a pesquisa no estado, o que é bastante importante para o desenvolvimento da pesquisa no Maranhão”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Categorias: