WebQuest é analisada como metodologia para aprendizagem

WebQuest é analisada como metodologia para aprendizagem
fevereiro 26 16:25 2015

computador2Pregar o protagonismo do aluno nos processos de ensino e aprendizagem parece já ter virado um lugar-comum nos “manuais” de educação, inclusive nos documentos oficiais do governo. Mas, até que ponto propostas metodológicas que reconhecem a necessidade do uso das tecnologias da informação e da comunicação (TIC) no ambiente escolar têm sido implementadas pelo poder público? Os alunos têm recebido por parte dos docentes algum direcionamento de como pesquisar na internet? Aparelhar as escolas com computadores e acesso à internet é necessariamente garantir a famigerada inclusão digital? Os professores da rede pública estão aptos (letrados digitalmente) a trabalharem com os recursos tecnológicos de forma motivadora, desafiadora e criativa?

Essas foram algumas questões que serviram como ponto de partida para o desenvolvimento da pesquisa “A WebQuest nas aulas de Língua Portuguesa: um estudo sobre pesquisa orientada na rede mundial de computadores”, coordenada pelo professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e mestrando em Cultura e Sociedade, Nataniel Mendes da Silva.

De acordo com o pesquisador, foi selecionado como proposta metodológica um objeto de aprendizagem que, embora já esteja em uso há algum tempo, ainda é pouco conhecido pelos educadores, sobretudo no Maranhão, a WebQuest. “A WQ é uma metodologia de pesquisa orientada da internet, na qual o professor seleciona as fontes de pesquisa na própria Web e propõe uma tarefa que norteará a investigação.A atividade tem um caráter altamente pedagógico, já que alunos têm a possibilidade de transformar informações disponíveis na rede mundial de computadores em conhecimento, com a orientação do professor, sujeito que tem a tarefa de conduzir a pesquisa”, detalhaNataniel Silva.

No caso especial do professor de Língua Portuguesa, a necessidade de apropriação das TIC no cotidiano escolar parece mais evidente, visto que a ideia de “texto” vem sendo ressignificada exatamente por conta da inserção do computador conectado à internet nas formas de comunicação da sociedade, sobretudo entre os jovens. “Se a escola se propõe a oferecer uma educação inclusiva, deve considerar a existência desses textos de grande circulação nos meios eletrônicos e promover práticas de letramento digital a professores e alunos, que lhes permitam não só a compreensão, mas a interação e criação a partir do uso das TIC”, defende o professor, que, para o desenvolvimento do trabalho, recebe o apoio da FAPEMA, por meiodo editado Prociência.

O pesquisador explica que uma das necessidades mais desafiadoras para docentes e discentes talvez seja a avaliação crítica da informação disponibilizada na rede mundial de computadores. “Nesse sentido, a metodologia WebQuest ajuda e ensina alunos a pesquisarem e construírem coletivamente o conhecimento. Isso porque o professor tem a tarefa de selecionar o material que será utilizado pelos alunos nas pesquisas, além de propor tarefas desafiadoras, nas quais as cópias e colagens não encontram espaço”, justifica.

Nessa investigação, a WebQuestestá sendo utilizada como recurso pedagógico nas aulas de Língua Portuguesa em uma turma de 1º ano do ensino médio do IFMA. O objetivo do estudo é verificar o papel da WQ como facilitadora no processo de pesquisa no ambiente virtual em trabalhos escolares de Língua Portuguesa.

“A pesquisa visa contribuir de forma significativa com a apropriação da WebQuest por parte de professores e alunos, concebendo a ferramenta como um recurso altamente pedagógico, por possibilitar a professores a criação de situações que desafiam seus alunos a construírem criativamente o conhecimento. Para o professor de Língua Portuguesa, especialmente, são inúmeras as possibilidades de criação e desafios propostos aos discentes. Textos com palavras associadas a fotografias, vídeos e sons são um convite à criatividade dos alunos. Professores capazes de utilizar criativamente os recursos tecnológicos a favor do aprendizado certamente vão encontrar na WQ uma ferramenta rica e capaz de gerar nos alunos da sociedade de informação uma aprendizagem significativa e condizente com as demandas da era digital”, finaliza Nataniel Mendes da Silva.

  Categorias: